skip to Main Content

O crescimento das mulheres em recursos humanos

Recursos humanos, uma área de predominância feminina.

Cada vez mais, as mulheres vêm conquistando espaço em cargos mais altos nos departamentos de recursos humanos. No ambiente que predominantemente já dominam, elas estão mostrando todas as suas habilidades, capacidade de raciocínio e humanidade.

Como todos sabemos, o mercado de trabalho passa por momentos de saturação e de reinvenção. Cada área, através de costumes ou imposições, é predominante de um gênero, mas geralmente os cargos mais altos, são sempre dos homens, o que fomenta um debate de ideias. As mulheres em recursos humanos tem mudado esse cenário.

Em um estudo realizado pela Bureau of Labor Statistics,  73% dos gerentes de recursos humanos são mulheres. A página Work Force ainda compara: em marketing são quarenta e três, e em tecnologia da informação, vinte e sete por cento.

Por que tantas mulheres em recursos humanos?

Não é segredo algum que os homens e as mulheres possuem características biológicas diferentes. Não falo apenas do sexo, o cérebro e seu desenvolvimento  também se diferem.

De acordo com a revista digital Science, o córtex feminino é mais espesso que o masculino, ele está ligado ao raciocínio, habilidade de compreensão e produção da comunicação, atenção, e percepção.

Já no homem, a área subcortical é a mais destacada. Suas principais relações são com a noção de espaço, tomada de decisões, emoções e memória.

Essas duas áreas possuem complexo funcionamento em ambos os sexos, mas cada uma acentuada na área maior.

Importante ressaltar que não é uma lei natural, um padrão rígido, é apenas um apontamento observado em pesquisa, já que ambos os sexos podem apresentar essas características, podendo ainda ser invertidas, unificadas.

Tais fatos apresentados mostram uma possível razão para que as mulheres em recursos humanos sejam mais predominantes. A maioria  possui mais habilidades com relações sociais e comunicação.

O arquétipo feminino é adequado para esse perfil, pois:

  • O profissional de recursos humanos precisa estar ciente de que sua função configura um dos departamentos importantes de uma empresa;
  • Têm o dever de lidar com o mais complexo, e que justificadamente precisa de toda atenção. O ser humano;
  • Cada pessoa é única, com seus problemas e dúvidas. O profissional de RH é o intermediador entre o sistema e o ser humano. É enxergar toda a habilidade singular de cada funcionário – todos possuem uma – e ser capaz de transmitir a ele os dados do sistema, como o cálculo do pagamento, legislações e direitos, sem desumanizá-lo ou considerá-lo inferior.

Cenário nacional do mercado de trabalho feminino

O Brasil tem progredido quanto ao ingresso feminino no mercado de trabalho, ainda que lentamente, os números têm crescido no país onde mais da metade da população é feminina.

De acordo com o site do Governo Federal, em 2007 as mulheres integravam 40% dos trabalhadores formais, e em 2016 foi para 44%.

Entretanto, os cargos altos não são predominante delas. Não acontece em todas as profissões o mesmo que em recursos humanos.

O jornal O Globo, publicou uma matéria que apresenta que trinta e sete por cento das mulheres estão em diretorias nas agências, mas apenas dez por cento está nos últimos níveis dos cargos.

 

Tiago Ocanha,

Cofundador do RH do Futuro

Publicado em 1 de Agosto de 2018

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
Recommended
Quais são as dicas para que você possa se comunicar…
Cresta Posts Box by CP

Preencha o formulário para realizar o download do E-book 7 Coissas Essenciais para sua carreira!
Estudante de RH
.